Ago

25

A recompensa

por Ricardo Cruz

Passou algum tempo desde que larguei por aqui os últimos parágrafos. Não tenciono pedir desculpa uma vez que vocês não aceitam mais desculpas para que a escrita, aqui, seja às “mijinhas” como se diz na minha terra. De qualquer forma posso dizer que nas últimas duas semanas toda a minha vida desinteressante mudou. E por tal, não me lembrei eu que tinha um blog para alimentar.

Mas é com imensa satisfação pessoal que escrevo estas linhas. O esforço, o sacrifício, a paciência e a perseverança finalmente deram-me o tão desejado sabor. Nesta altura em que vos escrevo posso dizer-vos que tenho finalmente um contrato de trabalho assinado e que a minha vida profissional começará no próximo dia 1 de Setembro – um bonito dia tendo em conta que é segunda-feira.

Para os interessados; a partir da próxima semana farei parte desta organização que se dedica ao fornecimento de produtos e serviços para o sector financeiro; plataformas de trading para os mais diversos activos, sistemas de análise de portfólio e apoio à decisão, regulamentação de mercados, informação de mercado e conectividade global. A empresa chama-se Fidessa e atinge receitas anuais na ordem da 270 milhões de libras. Desde 1997 é cotada na bolsa de Londres sob o ticker FDSA. Conta actualmente com 1300 colaboradores espalhados pelos diversos escritórios em todo o mundo; New York, Boston, San Francisco, Tokyo, Hong Kong e Paris. Nestes primeiros tempos estarei a trabalhar na sede, em Londres. A organização foi fundada em 1981 e é hoje líder de mercado com uma market share de 85% entre as correctoras tier-one a nível global.

Após um período de treino intensivo em mercados financeiros e nos produtos da empresa assumirei as funções de consultor junior, sendo que passarei a maior parte do tempo a analisar as necessidades de negócio do cliente, a decidir a melhor forma de as satisfazer, a configurar e optimizar soluções e a integrar sistemas.

Esta oportunidade representa tudo aquilo que vim procurar em Londres e não posso deixar de me sentir extremamente feliz com o facto de ter encontrado isso mesmo. Acima de tudo representa um desafio e quem me conhece sabe o gostinho que carinhosamente nutro por desafios. É com desafios que me motivo e que motivação sinto neste momento… Sei que neste ambiente existe espaço para aprender e crescer cada vez mais, não me acomodar a nenhuma situação ou posição e com isso constantemente avançar.

De tudo, uma das coisas das quais mais receio tenho é de um dia me sentir satisfeito, comigo, porque isso representará o fim do encanto original de tudo.

A sorte ajuda os audazes. – Vergílio in Eneida

5 Respostas para “A recompensa”

  1. helder Diz:

    Muitos parabéns Ricardo! Estou muito feliz por ti e pelo o teu sucesso.
    Com a tua experiência que tens tido a amabilidade de partilhar estás verdadeiramente a motivar-me a dar o “pulo”.

    Grande abraço,
    helder

  2. Carol Diz:

    Boa! Assim é que é. Fico muito contente de saber isso e desejo-te muita sorte nesta nova etapa da tua vida.
    Agora, lá porque já estás metido nos mercados londrinos não vale andar a estragar o latim e escrever “recompença” ainda por cima, logo no título ;) Ai, ai!

  3. Ricardo Cruz Diz:

    Shame on me Carol, shame on me!

  4. Tânia Diz:

    “É melhor tentar e falhar, que preocupar-se e ver a vida passar; é melhor tentar ainda que em vão, que sentar-se fazendo nada até ao final. Eu prefiro na chuva caminhar, que em dias tristes em casa me esconder. Prefiro ser feliz, embora louco, que em conformidade viver.”
    Martin Luther King

    Beijos e tudo de bom nesta nova etapa, que será, com certeza, o início de uma excelente vida profissional!

  5. Ricardo Cruz Diz:

    Obrigado Tânia.

Responder